Bullying é mais prejudicial quando praticado por amigos

Conflitos e provocações entre amigos são algo natural. Mas nem sempre são inofensivos: na verdade, quando viram bullying, podem ser mais prejudiciais do que aquele praticado por outras pessoas.

 

Essa foi a conclusão de um estudo da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, e publicado este mês no Journal of School Health.

Os autores mediram os efeitos do bullying sobre a saúde de 5.335 estudantes ingleses entre 11 e 15 anos. Foram considerados três tipos de bullying: físico (quando há algum tipo de agressão ou intimidação física), verbal (xingamentos, ameaças, comentários desrespeitosos etc.) e relacional (quando ocorrem agressões emocionais ou psicológicas entre pessoas de um mesmo grupo).

De todos, o bullying relacional se mostrou associado a uma menor qualidade de vida entre os jovens. E, apesar de as meninas serem mais propensas a enfrentar esse problema, o efeito negativo na saúde era igual para ambos os gêneros.

Segundo o estudo, esse tipo de bullying é marcado por ações como ameaças de término de amizades, propagação de rumores falsos, uso de amizade como moeda de troca e exclusão intencional da vítima do grupo de amigos. Como resultado, ocorrem danos ao status social e ao relacionamento da pessoa com os colegas – e tudo isso acaba impactando na saúde dos excluídos.

Kayleigh Chester, pesquisadora do instituto de saúde e ciência humana da Universidade de Hertfordshire e autora principal do artigo, destacou o perigo desse tipo de assédio mais sutil: o bullying relacional ainda não recebe muita atenção de pais e professores e muitas vezes é confundido com simples desentendimentos entre amigos – o que reduz a probabilidade de uma intervenção externa para ajudar as vítimas.

 

Por Ana Prado

(Via Medical Xpress)

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixar seu comentário

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location

Mais Lidos