Dicas matadoras e Programação Neurolinguística para arrasar na redação

Muita gente treme de medo quando chega a hora de elaborar uma redação, seja no colégio ou em provas de vestibular e no disputado ENEM. Mas existem algumas dicas capazes de incrementar um texto de forma que ele fique muito mais atrativo para o leitor! Claro que, em redações de vestibulares e para o ENEM, algumas normas precisam ser seguidas, mesmo assim, você consegue incorporar essas dicas e arrasar na nota! Vamos começar a praticar agora mesmo? Aliás, PRATICAR é a nossa primeira dica!! Treine bastante a escrita, leia redações nota 1000 e se baseia nelas, porém desenvolva o seu método próprio de escrita, copiar nem sempre garante uma nota boa. 

Em um texto dissertativo argumentativo (que é o pedido na maioria das redações universitárias), você precisa expor sua ideia e ARGUMENTAR a favor dela.  A argumentação é o ponto forte nesse modelo de redação, então, a nossa dica é para abordar questões e fazer perguntas relevantes, de forma que faça o leitor pensar e ficar com àquela "pulguinha" atrás da orelha, e na sequência você já apresenta as soluções. O grande "truque" é fazer perguntas afirmativas, dessas que fazem a gente balançar a cabeça concordando enquanto lemos. Em uma dissertação simples sobre o bullying, por exemplo, você apenas descreveria o que é bullying, enquanto que em uma redação argumentativa, você defenderia uma posição sobre o bullying, expondo o problema, ideias e principalmente soluções.

Esta é a principal diferença entre uma dissertação e uma dissertação argumentativa, tem muita gente que ainda tem dúvidas e confunde os dois. Na redação dissertativa-argumentativa, você tem que fugir da locução pessoal,  ou seja, não existe o "eu", não existe o "achar". Por isso, evite utilizar expressões como “eu acho” ou “na minha opinião” e prefira expressões como “Sabe-se que” e “Pode-se concluir que ”. Dessa forma você garante que o seu texto representa um posicionamento e  não uma opinião pessoal. E lembre-se de que você pode e deve se pocisionar na sua redação, ainda que a sua opnião pessoal seja diferente e que não concorde com tal posicionamento. A dica aqui é para ANALISAR os FATOS e ser imparcial.  E sempre mostrar um posicionamento, sem deixar dúvidas no ar. 

Prefira frases não tão longas para usar de título e procure escolher bem as palavras para já causar um impacto à primeira lida. PORÉM, e isso é fundamental, o título tem que ser condizente com o conteúdo que será apresentado no texto! Você não está desenvolvendo uma carta publicitária, então não adianta colocar um título super chamativo que não apresenta o tema da redação. Os redatores odeiam essa tática! E mais um detalhe: Título não se pontua no final! #ficadica

Lembre-se de seguir a ordem: Introdução; desdobramento e conclusão. E de criar os parágrafos necessários, bem como a pontuação.  E esqueça a formalidade excessiva na hora de escrever. Seja natural, escreva como você fala, isso vai causar empatia e proximidade com quem está lendo.  Muita gente erra pela formalidade exagerada e acaba apelando para construções sintáticas confusas e controversas. Essa atenção vale para o uso de sinônimos pouco conhecidos também, é ótimo que você tenha fluência na língua e mostrar isso ao redator não tem problema, o problema mora em usar palavras muito antiquadas e que não se adequam ao restante do texto, ficando fora do CONTEXTO. 

Na hora de finalizar o seu texto, nunca encerre com a palavra "Fim", ao menos que seja uma narrativa, que você esteja narrando uma fábula ou história. Nas redações argumentativas, você precisa encerrar o texto de uma forma sucinta e sem dúvidas que deixou muito clara a conclusão final. Quando o texto é bem elaborado e apresentado, a conclusão final é óbvia, dispensando mais explicações. Quanto melhor for a redação escrita, mais fácil e rápida será sua finalização. 

A gente sabe que o nervosismo às vezes toma conta e que por isso nem sempre sobra tempo para revisão, mas esse é um ponto crucial de qualquer texto. A dica aqui é para você esperar alguns minutos, dar uma olhada em outras coisas e então revisar, pois nossos olhos se acostumam com o que acabamos de escrever e assim alguns erros passam despercebidos. 

A PNL (Programação Neurolinguística) nos traz uma excelente dica para ser aplicada à provas e redações. Quando ficamos muito tensos, temos o hábito de baixar a cabeça e colocar a mão na testa, acontece que esse gesto faz com que acionemos áreas do cérebro que não serão úteis em um momento de tensão, como a área responsável pelo diálogo interno e que dispara noradrenalina pela corrente sanguínea. Nosso gestual e comunicação não-verbal interferem diretamente na produção de hormônios e liberação da nossa bioquímica, sendo assim, quanto mais tenso você demonstrar que está, mais tenso o seu organismo vai ficar. Então, respire bem e experimente erguer a cabeça ao invés de baixar, ergua os olhos, dê um sorriso e incline o olhar levemente para o lado esquerdo, e abra os braços o quanto puder, ao invés de retraí-los. Através dos movimentos oculares conseguimos acessar algumas regiões do cérebro, como, por exemplo, o Hipocampo que é a região que fica a nossa memória. E acessar a memória durante uma prova quando se tem um "branco" é algo muito útil, concorda? Por isso, daqui para frente, mude a sua linguagem corporal e suas ações corporais para gerar um comportamento mental novo e manter o autocontrole e a memória ativa. 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe! E comente aqui! Nos siga no Instagram para mais dicas como esta: @toplevel.com.br

Bruna Stamato (Neurolinguista, escritora, palestrante, com ênfase em Neuromarketing) 

www.brunastamato.com.br 

 

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixar seu comentário

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location

Destaques

Mais Lidos