Isaias 14:12

Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!

Como

O termo indica surpresa, estranheza, espanto, estupefação, diante da queda de Satanás. Tal se deve em função da elevada posição, talvez somente abaixo do Criador, que Lúcifer ocupava na dimensão celestial. Mesmo tendo convivido e participado da imensurável glória e poder de Deus, que o capacitava a prostar nações, ainda assim ele caiu.

caíste

Mas por que teria ele caído? A queda de Satanás se deu em decorrência de suas próprias escolhas e ações. Ele exerceu seu livre arbítrio e optou por viver segundo seus próprios princípios, mesmo que em desacordo com as leis definidas pelo Criador. Talvez ele tenha se considerado tão bom e tenha alcançado posição tão elevada, que passou a não mais querer servir aos propósitos divinos. Talvez tenha se tornado orgulhoso demais para reconhecer os próprios erros e submeter-se ao perdão de Deus. Tal constituiria humilhação intransponível para um ser tão sábio e qualificado quanto ele.

O fato é que ele renunciou à sua posição de supremacia e extrema glória nas dimensões espirituais e caiu. Isso demonstra que não há uma condição definitiva e estável de salvação ou perdição, por mais elevada ou degradante que seja. Ao contrário, a condição de cada um é dinâmica e se define conforme a prática de vida. 

do céu

O céu não representa um lugar, mas um estado ou condição espiritual, uma posição elevada, fruto do que é semeado no decorrer da existência. Quem escolhe viver segundo os princípios divinos, entre os quais se destaca a lei do amor, experimenta crescimento espiritual. À medida em que se cresce espiritualmente, passa-se a ocupar posições cada vez mais elevadas. A partir de determinado ponto, temos a condição que pode ser chamada de "celestial", adquirindo-se assim diversas prerrogativas. Quanto mais se sobe nesta escala, mais próximo se chega do Logos.

estrela da manhã, filha da alva

Satanás é chamado de estrela da manhã em função de sua posição de destaque. A comparação se deve ao fato de a estrela da manhã brilhar mais do que as demais estrelas, sendo visível mesmo quando o dia já está claro, embora saibamos que, na verdade, a estrela da manhã não é uma estrela, mas o planeta Vênus.

Curiosamente, Jesus também é chamado de Estrela da Manhã em Ap. 22:16, pelo mesmo motivo, ou seja, pela supremacia do seu brilho sobre as demais estrelas. Entendo, por outro lado, que pode haver muito em comum entre Jesus e Lúcifer, em função desta comparação. Isso porém é assunto para outra ocasião.

lançado por terra

Em decorrência da queda de sua posição de destaque, Lúcifer foi lançado por terra, ou seja, foi rebaixado, humilhado. Anteriormente, sua ação se concentrava nas elevadas esferas celestiais e espirituais. Não é exagero ou mera fantasia especular que o universo esteja repleto de civilizações, algumas da quais muito mais avançadas do que a nossa.

Uma análise fria leva-nos à conclusão inevitável de que a humanidade é uma espécie em estágio inicial de evolução, ainda sujeita a instintos violentos e animalescos. Somos seres frágeis, limitados e extremamente apegados à realidade física e material, quase incapazes de perceber a estrutura espiritual que nos rodeia e sustenta.

Por ter falhado consciente e intencionalmente e ter deliberadamente se recusado a reconhecer o próprio erro, Lúcifer perde sua posição de glória e liderança sobre a parte mais evoluída do universo e passa a ter sua influência transferida e restrita a mundos primitivos, em estágios iniciais de evolução, como a terra.

tu que prostravas as nações

Tendo a queda de Satanás ocorrido em época anterior à existência da civilização humana, como poderia ele ter prostrado nações? Partindo de que o universo seja povoado por incontáveis civilizações, cada uma formada por diversas nações, assim como ocorre atualmente na Terra, não é absurdo concluir que muitas dessas nações alienígenas possam ter se deixado liderar por Lúcifer, em função de suas inúmeras qualidades, ao ponto de se prostrarem diante de sua incontestável capacidade. Talvez esse excesso de admiração e reconhecimento tenham sido precisamente os elementos que inflaram de tal modo o seu próprio ego, ao ponto de o levaram a uma posição de orgulho e soberba, naturalmente incompatível com um líder de seu calibre.

Para finalizar os comentários a este versículo do 14º capítulo do livro de Isaias, é importante mencionar que um número considerável de teólogos rejeitam a interpretação deste verso como uma referência à queda de satanás. Na visão deles, Isaias fala do rei da Babilônia e não de Lúcifer. Entre outros motivos, além de sustentarem que o capítulo inteiro é a respeito do rei, afirmam que ser chamado de estrela da manhã é incompatível com a verdadeira natureza de satanás, uma vez que tal característica é também atribuida ao próprio Jesus.

De qualquer forma, entendo que seria um erro ainda maior conferir tal atributo a um homem, mesmo sendo um rei. Além disso, na sequência do texto, seria absurdo que um rei pudesse almejar o trono do próprio Deus. Desse modo, embora alguns trechos do capítulo apliquem-se, de fato, ao rei da Babilônia, fica claro que algumas situações indicadas não podem ser atribuídas a um simples homem. O texto, embora cheio de metáforas, fala por si.

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixar seu comentário

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location

Mais Lidos