Por que todo estudante precisa dominar a matemática mental

Se você colocar uma nova peça de música na frente de um músico profissional, ela provavelmente poderá tocar pelo menos as linhas principais de melodia e harmonia sem esforço. Um “leitor de visão” experiente pode prever rapidamente a combinação de notas e acordes de uma olhada na assinatura da tecla, que indica quais notas serão nítidas, planas ou naturais na peça. Esta capacidade de leitura de visão decorre não só de anos tocando diferentes músicas, mas também da prática regular de assinaturas de teclas e escalas. Ela dominou os fundamentos da música.

 

A leitura da visão também funciona na educação matemática. Pesquisadores (veja Journal of Neuroscience e Psychonomic Bulletin & Review) descobriram que a matemática mental - a capacidade de fazer cálculos em sua cabeça sem o auxílio de uma calculadora ou um lápis - é crucial para aprender conceitos matemáticos avançados. Os alunos podem alcançar essa capacidade, assim como o músico realizado: praticando os fundamentos.

O cientista cognitivo Daniel T. Willingham explica a matemática mental em seu livro "Por que os alunos não gostam da escola". A memória de trabalho, ou a memória de curto prazo usada para pensar e aplicar conceitos, é limitada, representando o "gargalo fundamental da cognição humana" ele escreve. Pense na memória de trabalho como uma sala com apenas uma quantidade fixa de metragem quadrada para armazenar conhecimento.

Para processar mais informações, os alunos devem condensar os conceitos básicos, como assinaturas de chaves em músicas ou tabuadas em matemática, para permitir mais espaço para os mais avançados. O domínio da matemática mental permite que os alunos façam cálculos rápidos em suas cabeças, liberando-os para se concentrarem em problemas mais desafiadores.

Alunos que são bons em matemática mental são…

Focados. Como os alunos não se distraem com números grandes, eles se concentram na lógica do problema.

Eficientes. Problemas mais fáceis são resolvidos mais rapidamente, o que deixa mais tempo para problemas difíceis.

Destemidos. Como os alunos são capazes de fazer mais matemática em suas cabeças, eles estão cada vez mais confiantes em suas habilidades.

A matemática mental requer prática contínua de adição, subtração, divisão e multiplicação. Mas Willingham adverte que, ao praticar demais esses conceitos, a motivação do aluno para aprender é eliminada. Simplificando, não é divertido. Pode ser por isso que a matemática mental não é incorporada em algumas salas de aula.

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixar seu comentário

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Anexos (0 / 3)
Share Your Location

Mais Lidos